top of page

Após agressão no aeroporto, Jacaré responde em campo com assistência e gol

Na comemoração, atleta beijou o escudo do Bahia e colocou as mãos nas orelhas

Foto: Felipe Oliveira/ EC Bahia

A noite desta quarta-feira (01) foi de redenção para o atacante do Bahia, Vitor Jacaré. Um dos principais alvos da torcida no desembarque em Salvador após a goleada por 6 a 0 para o Sport, o jogador de 23 anos foi agredido por um torcedor do clube com dois tapas no peito. O jogador está longe de ser unanimidade. Tem quem goste da raça e entrega do atleta, no entanto, as deficiências técnicas e os frequentes flagras em baladas, estremecem a relação e criam quase que uma relação de amor e ódio entre o atacante e a torcida do Bahia. Contra o Jacuipense na noite desta quarta-feira (01), o jogador foi fundamental na construção do placar da goleada por 4 a 1, pela primeira fase da Copa do Brasil. Com uma assistência para Biel no primeiro tempo e um gol de peixinho no segundo, Jacaré chegou a 2 gols e 2 assistências na temporada, em 12 partidas.


Vale ressaltar que a aplicação tática de Jacaré, levou Renato Paiva a barrar talvez a principal contratação do Bahia para a temporada, o ponta Kayky, vendido pelo Fluminense por mais de R$ 70 milhões ao Manchester City. E o indicativo para o Ba-Vi, no próximo domingo (05), é a manutenção do folclórico "Jaca" como titular da equipe.

Comentarios


bottom of page