Bobô vê Bahia ‘sem ambição’ e critica presidência: ‘Falta maturidade’

Sempre lembrado para a disputa da presidência do Tricolor de Aço, Bobô assume que colocará seu nome à disposição

Foto: Montagem/ Info Bahêa


Campeão brasileiro de 88 pelo Bahia e campeão da Copa do Nordeste de 2002 como técnico, Raimundo Nonato Tavares da Silva, Bobô, é um ídolo inconteste do Tricolor de Aço. Em entrevista ao Info Bahêa, o camisa 8 teceu críticas à atual direção do clube, capitaneada por Guilherme Bellintani, e à gestão de futebol do time.


“Há um equívoco enorme na visão de futebol do Bahia. A pessoa que planejou o futebol talvez não tenha debatido os assuntos com os demais, talvez falte também um pouco de maturidade e experiência à presidência do Bahia que não conversa, não abre diálogo e fica apenas o que é contratado para pensar o futebol. Eu não sei nem quem é hoje o gerente de futebol do Bahia. A tendência é fracassar”, lamentou.


Bobô cobrou mais ambição da equipe, que esse ano batalha para não ser rebaixado à Série B do Brasileirão. “O departamento de futebol do Bahia precisa ser ambicioso. Não existe ambição hoje. É preciso planejar para ganhar o tempo inteiro, e não para se manter. Não vai ser campeão em lugar nenhum dessa maneira, não vamos chegar a mais um título nacional. Monta-se um time, mas não monta um elenco”, avaliou.


Sempre lembrado para a disputa da presidência do Tricolor de Aço, Bobô assume que colocará seu nome à disposição. “Está no radar. O pessoal não deixa eu esquecer, onde eu vou o pessoal diz que é sócio... se eu tivesse essa votação para deputado estadual, era o mais votado. Tudo tem seu tempo, sua hora. Não posso fazer as duas coisas. Sei que vou ter que aguardar, mas essa hora vai chegar. Eu vou colocar meu nome, propostas. Mas sempre ali, como é eleição direta, se eu perceber que não posso ser tão útil, sairei de campo. Mas eu acho que posso ser útil”, indicou.


Confira, abaixo, a partir das 17h, a entrevista completa:


728x90-Campanha-BNAutos.gif