Danilo Fernandes diz que não sairá do Bahia; ‘Não passou pela cabeça em momento algum’

Danilo será submetido a um procedimento cirúrgico no olho nesta sexta-feira

Foto: Reprodução / YouTube

Na tarde desta terça-feira (1), no CT Evaristo de Macedo, o goleiro Danilo Fernandes concedeu entrevista coletiva transmitida ao vivo para todos, através do Sócio Digital e no canal do Tricolor no Youtube.


Logo no início da entrevista Danilo foi questionado sobre os episódios de violência no futebol brasileiro nos últimos dias.


“Uma situação chata, o futebol brasileiro, um futebol pentacampeão. Tem tudo pra ser um dos mais bonitos do mundo e hoje está nas páginas policias. Um ambiente que é para unir atletas, jogadores, torcida, um só objetivo que é dar alegria ao povo brasileiro. A gente, jogador, se fala e tenta ter uma posição, mas a gente sabe que às vezes é complicado. Deixar com as autoridades que vão tomar as medidas.” Afirmou Danilo.


O arqueiro também explicou como se sentiu no exato momento em que as bombas atingiram o ônibus do Esquadrão.


“Eu demorei para manifestar que alguma coisa tivesse acontecido dentro do ônibus. Como eu estava de fone, eu não ouvi o que estava acontecendo. Simplesmente senti como uma porrada no meu rosto. Depois eu vi alguém dizendo que era uma bomba."


"Quando me dei por conta estava sangrando, pingando. Pediram para eu ir mais pra frente, para sair daquela zona de perigo. Eu não sabia o que estava acontecendo. Ficou estranho de entender o que aconteceu.” Completou o goleiro.


Danilo será submetido a um procedimento cirúrgico no olho nesta sexta-feira, após ter sido identificada uma zona de fragilidade próximo à sua retina. Ele também comentou sobre o fato, e sobre a previsão de volta aos gramados.


“Eu não sei. Vou fazer esse procedimento na sexta, tenho pontos no corpo, tem que esperar cicatrizar. Acredito que semana que vem posso fazer algo na academia, viu pressionar para fazer algo. Quero me recuperar, estar bem com meu corpo e voltar o mais rápido possível.”


Quando perguntado se ele iria continuar no clube mesmo após o atentado, Danilo respondeu com segurança: “Não, não me passou pela cabeça em momento algum. Estou bem feliz. Minha família e eu estamos apaixonado pelo clube, adaptados a cidade.”

“A minha motivação [de ficar] [e fazer o que eu mais amo, não vão ser um dois, ou três vândalos que vão tirar isso. O verdadeiro torcedor vai no estádio apoiar, xingar. Do mesmo jeito que eles estão xingando, a gente também se xinga, a minha motivação é fazer o melhor sempre.” Concluiu Danilo.