Danilo manda recado para a torcida: 'iremos dar a vida'

Goleiro tambem comentou sobre a mudança de chave na equipe para buscar a classificação

Foto: Bruno Queiroz/ EC Bahia

O entrevistado na manhã desta segunda-feira (11), no CT do Coritiba, foi o goleiro Danilo Fernandes. Com 1 ano de clube recém completado, o atleta comentou sobre a partida de amanhã (12) contra o Athletico Paranaense pela Copa do Brasil.


Danilo falou sobre seu primeiro ano de clube completado. Falou sobre altos e baixos, cobranças, e muito mais.


"Muito feliz por completar um ano defendendo as cores do Bahia. Isso é muito legal. Uma história muito linda que eu estou escrevendo e quero continuar por muito tempo. Altos e baixos existem em todas as profissões, na nossa não é diferente. A intensidade da cobrança tanto quanto a dos elogios, é muito grande. Então, a gente tem que saber administrar o que acontece dentro e fora de campo. Para mim, já não é novidade, tô bem acostumado. Que é essa pressão continue por muito tempo", afirmou o arqueiro.


Para os torcedores que já jogaram a toalha e não acreditam mais na classificação do time contra o CAP, o goleiro mandou um recado:


“Estamos confiantes no nosso trabalho, no nosso grupo. Nosso ambiente está muito bom, quem estiver a fim de nos incentivar vai ser muito importante. Quem estiver do nosso lado pode ter certeza que iremos dar a vida para conseguir essa classificação e levar essa alegria para Salvador.” disparou.

O atleta também foi questionado sobre os protestos que vem acontecendo por parte de diversos jogadores em clubes do Brasil contra o Projeto de Lei 1153/2019, que gerou alterações na Lei Pelé. Danilo demonstrou insatisfação não só dele como de todo o grupo e diz estar engajado na causa.


"Não só os atletas do Bahia, como do Brasil inteiro. Estamos engajados nesse protesto. Temos os nossos direitos e não estamos cobrando nada mais do que merecemos. Não é de hoje que tentam tirar os nossos benefícios como empregado. Mais de 85% dos atletas ganham até mil reais. O futebol tem uma realidade diferente do que muitos pensam. Não é fácil. Estamos cansados de falar nisso e recebemos muitas críticas porque muito gostaria de estar no nosso lugar. Temos direitos e vamos em busca do que é nosso, assim como todo trabalhador", destacou.


Voltando para o âmbito do futebol, o goleiro foi questionado sobre a mudança de foco de uma competição para a outra e diz que o time necessita virar a chave após o empate contra o Vila Nova, focar na Copa do Brasil e buscar a classificação.


"Temos que virar a chave o mais rápido possível de uma competição para outra. Estamos acostumados a lidar com isso. No Brasil existem várias competições e a gente tá acostumado. Temos que nos adaptar o mais rápido possível a uma nova competição, onde está tudo em aberto. Um simples triunfo nosso já nos coloca numa disputa de pênaltis. Então, vamos em busca desse triunfo", concluiu.