Ex-presidente do Bahia, Marcelo Sant’Anna critica montagem dos últimos elencos do clube

Para o ex-gestor, o Tricolor montou times caros, além da sua capacidade financeira

Foto: Felipe Oliveira / ECBahia


Ex-presidente do Bahia, Marcelo Sant’Anna afirmou que o clube – na gestão de Guilherme Bellintani – montou times caros, além da sua capacidade financeira. De acordo com o ex-mandatário, o reflexo está nas contas. No ano passado, o Tricolor teve mais de R$ 40 milhões de prejuízo – enquanto os Ceará e Fortaleza amargaram baixas de R$ 15 milhões.


“Essa questão da pandemia levou as receitas dos clubes para 2017. Reconheço que a pandemia impacta, mas não pode ser desculpa. A referência hoje é o futebol do estado do Ceará. Tiveram Ferroviária e Floresta na Série C. É trabalho, desenvolvimento, o Bahia deu prejuízo de 40 milhões e os cearenses de 15 milhões. Isso tem planejamento de orçamento. Folha salarial que você não consegue corrigir. Quando você tem um elenco caro, como o Bahia tinha 2020, 2019, caro além da capacidade de pagar. Tem que ter pé no chão para se desenvolver com altos e baixos naturais do esporte”, apontou, em entrevista ao programa Jogo Aberto, da Band Bahia.

Para Sant’Ana, o perfil de jogador contratado pelo Bahia não é o adequado. “O Fortaleza tem perfil de jogador que busca crescer, ser negociado e vendido. Bahia e Ceará buscaram jogadores mais consolidados, acho que o perfil correto é o do Fortaleza. Eu errei em 2016 com Thiago Ribeiro e nunca mais repeti. Fiz um time de jogadores desconhecidos”, relembrou.

728x90-Campanha-BNAutos.gif