Grupo de oposição critica Sidônio Palmeira: “o Bahia tem dono”

+BAHIA ainda questiona forte blindagem e parceiros do “amém”


Foto: Reprodução/ ipolitica.blog.br

Na manhã deste domingo (06), após derrota melancólica do Bahia para o Sport Recife por 3 a 2, de virada, em plena Fonte Nova, pela Copa do Nordeste, o grupo de oposição +BAHIA lançou uma nota de opinião questionando Sidônio Palmeira, um dos principais nomes ligados à atual gestão do clube.


O grupo alega que “o Bahia tem dono” e dispara que a situação conseguiu “silenciar” a oposição: “Não há espaço para quem é de fora da panela. Apoie e ganhe cargos e/ou voz no Bahia”, diz o texto.


Confira a nota na íntegra:


“E agora, Sidônio?


“…e tudo acabou, e tudo fugiu, e tudo mofou”. Ao ler o poema do brilhante Carlos Drummond de Andrade, “E agora, José?”, não há como não relacionar com o Bahia de Sidônio Palmeira e sua trupe. Tudo realmente desmoronou. O discurso totalmente descolado da prática já não engana nem aqueles que se deixam ser enganados facilmente. E agora, Sidônio?


O dono contemporâneo do Bahia - sim, o Bahia tem dono - elegeu Marcelo Sant’Ana e, em seguida, emplacou a eleição e a reeleição de outro neófito do futebol, Guilherme Bellintani. Eleições com triunfos avassaladores. Seu grupo, o Simplesmente Bahia, formado por figuras políticas e empresários conhecidos na cidade, esforçou-se para criar uma forte blindagem e angariar parceiros que dissessem amém. Conseguiu apoios e alianças com grande parte dos grupos políticos do Bahia (e até de torcidas organizadas) e foram anulando os críticos. Estratégia igual à usada no período das trevas.


Pois é. Não há espaço para quem é de fora da panela. Apoie e ganhe cargos e/ou voz no Bahia. Os que questionam são taxados de oportunistas, anti-Bahia e turma do “quanto pior melhor”. Na última eleição, o candidato do Simplesmente Bahia de Sidônio conseguiu expressivos 86% dos votos. Dos 100 conselheiros, o +Bahia, único grupo declaradamente de oposição, elegeu 8 conselheiros.


Não se enganem. Com a tragédia em curso, muitos que sempre foram da turma do amém aparecerão como opositores ou críticos. Vários já estão ensaiando. Até candidato para 2023 já querem lançar. Cuidado com os oportunistas. Eles estão cada vez mais entre nós.


Sidônio já provou que quer continuar sendo o dono do Bahia, mas que não entende absolutamente nada de futebol. Tem habilidade na construção de candidatos. É bom de voto. Tem a máquina a seu favor. Mas seus dias estão terminando. O Bahia é maior do que sua vaidade. Não deixaremos. “Sua lavra de ouro, seu terno de vidro, sua incoerência, seu ódio - e agora?”