top of page

Histórico: sócios aprovam venda do Bahia SAF para o Grupo City

Com 99% de aprovação, associados tricolores concordaram com a venda ao fundo árabe

Foto: Reprodução/ TV Bahêa

O Bahia é oficialmente o 13º clube do City Football Group (CFG), maior Multi-Club Ownership (MCO) ou conglomerado de clubes do mundo. Os sócios tricolores aprovaram a venda da SAF tricolor, com 99% dos votos, na noite deste sábado (03). Pela manhã, a primeira assembleia que definiu a adequação do estatuto do clube à Lei da SAF (14.193/2021), teve recorde de votos - foram 12.579 de 19.325 aptos - e aproximadamente 99% de aprovação. A segunda assembleia, que deliberou sobre o aceite da proposta do Grupo City, teve início às 14h45 e perdurou até às 19h, e registrou um novo recorde: foram 12.949 votos online + 159 votos físicos de 19.325 aptos - o que representou 99% de aprovação.


Apuração dos votos online (Foto: Divulgação/ EC Bahia)

PROPOSTA DO CFG É importante ressaltar que valor da proposta costurada entre Bahia e Grupo City é de R$ 1 bilhão por 90% da SAF tricolor, com pagamento integral das dívidas do clube e mínimo de R$ 500 milhões de investimento para a compra de atletas em até 15 anos. Basicamente, o valor do acordo se divide em três finalidades:

- R$ 500 milhões para a compra de jogadores;

- R$ 300 milhões para o pagamento de dívidas;

- R$ 200 milhões para infraestrutura, categorias de base, capital de giro, entre outros.


Além disso, para aumentar a competitividade do futebol sob novo comando, há obrigação contratual de manter a folha salarial no que for maior: R$ 120 milhões por ano ou 60% da receita bruta da SAF, exceto transferências de jogadores. A marca continuará a ser propriedade da associação civil. O uso dela na SAF, para a prática do futebol, está condicionado ao pagamento de R$ 2,5 milhões por ano em royalties.

Comentarios


bottom of page