Veja outras polêmicas com árbitro que apitou Juventude x Bahia

Em 2019, os times prejudicados foram Botafogo e Palmeiras

Foto: Divulgação


Decisivo na partida entre Juventude e Bahia, na noite de ontem, Paulo Roberto Alves Júnior coleciona polêmicas na sua carreira.

No jogo de ontem, mesmo com auxílio do VAR, ele não marcou uma penalidade a favor do Bahia. Cabia no lance, ainda, a expulsão do jogador do Juventude, que tirou a bola que ia em direção ao gol com a mão.

No início desse ano, a atuação duvidosa do juiz acabou eliminando o Paysandu da Copa do Brasil.

Na ocasião, Paulo Roberto foi bastante criticado pelos bicolores após a marcação de um pênalti para a equipe alagoana e a anulação de um gol. O time alviceleste foi eliminado da competição nos pênaltis após empate em 1 a 1 no tempo regulamentar.

O presidente Ricardo Gluck Paul definiu a arbitragem como "grotesca".

Em 2019, os times prejudicados foram Botafogo e Palmeiras. O árbitro errou ao mandar o jogo reiniciar e em seguida utilizar o recurso do VAR para marcar um pênalti de Gabriel em cima de Deyverson no lance anterior.

Um dia após a partida, o jurídico do Botafogo entrou com um pedido de anulação do confronto junto ao STJD, que solicitou à CBF que o resultado de 1 a 0 para o líder do Brasileirão não fosse homologado.

Além do problema no VAR, o Botafogo também reclamou da aplicação de cartões amarelos aos jogadores.


Em 2018, mais uma polêmica. O juiz teria prejudicado o FC Cascavel em uma partida contra o Athletico-PR.

728x90-Campanha-BNAutos.gif