MP-BA requer afastamento da Bamor de eventos esportivos por dois anos

Organizada do rival também está presente no requerimento da promotora Thelma Leal

Foto: Felipe Oliveira/ EC Bahia

Nesta segunda-feira (12), o Ministério Público estadual, através da promotora de Justiça Thelma Leal, ajuizou uma ação civil pública contra as torcidas organizadas Bamor, do Esporte Clube Bahia, e Os Imbatíveis (TUI), do Esporte Clube Vitória. O objetivo do requerimento é que a Justiça determine o afastamento das duas maiores organizadas do Estado dos locais de eventos esportivos, em todo o país, pelo prazo de dois anos. O MP-BA também requer que a Justiça impeça que todos os associados membros das torcidas frequentem e compareçam aos referidos eventos e seu entorno em um raio de cinco mil metros, portando ou se utilizando de elementos identificativos, indumentárias, acessórios ou outros signos representativos que possam identificá-los nesses eventos, assim como de venderem material das torcidas.


Segundo a promotora Thelma Leal, “por meio de notícias divulgadas pela imprensa, bem como, por comunicação do Batalhão Especializado de Policiamento em Eventos (BEPE), chegou ao nosso conhecimento a prática de atos de violência generalizada e tumulto entre membros das torcidas Bamor e Tui no dia 4 deste mês, nas proximidades do Largo do Argeral, bairro de São Caetano, em Salvador”, afirmou.

Além disso, de acordo com o requerimento, a TUI terá que publicar em suas redes sociais oficiais o motivo da suspensão, ou seja, a decisão da Justiça, na véspera de cada partida que o respectivo time disputar, durante o tempo que durar a suspensão. Caso os pedidos sejam descumpridos pelas torcidas, o MP pediu a fixação de multa diária de R$ 5 mil.