top of page

Paiva cobra jogo mais coletivo de Kayky e analisa empate

“Nós temos que trabalhar os jogadores, desenvolver e fazer com que ganhem confiança, confiança nas finalizações"

Foto: Felipe Oliveira / ECBahia


Técnico do Bahia, Renato Paiva cobrou do atacante Kayky um jogo mais coletivo. Ontem, durante a coletiva após o empate em 2x2 com a Ferroviária, o mister ressaltou também a qualidade do atleta.


"Kayky é um jogador que não joga com regularidade há um ano. Um jogador que tem na sua qualidade técnica o ponto forte, que arrisca. Os jogadores que arriscam perdem mais do que os que não arriscam. Ele tem lances que nos deram o resultado, como foi no Ba-Vi. Hoje estava no lance, mas tem que perceber que às vezes a qualidade dele tem que servir mais à equipe. Isso faz parte do crescimento dele. Quando ele perceber que a sua qualidade tem que estar à serviço do coletivo, será um super jogador", afirmou.

O professor fez ainda uma análise da partida. "Dar os parabéns aos jogadores, fizeram um jogo não a 100%, mas com momentos interessantes. Criaram um volume de finalizações enorme. Hoje tivemos o último passe, a finalização, mas não tivemos gol com bola corrida. É um problema que penaliza as equipes. Continuo a dizer que estaria mais preocupado se fizéssemos cinco ou seis jogos como fizemos com o Barcelona de Ilhéus. O empate e a derrota [na Copa do Nordeste] não foram jogando mal, foi jogando bem. Depois voltamos aquela história de que o adversário nos penaliza por não ter feito os gols. São detalhes que nos penalizam, mas não foi um jogo ruim. Foram 90 minutos com bons momentos”, iniciou ele.


Nós temos que trabalhar os jogadores, desenvolver e fazer com que ganhem confiança, confiança nas finalizações. Em termos gerais estivemos bem, permitimos que o adversário finalizasse duas vezes. É uma equipe jovem, que às vezes quer ir com muita intensidade, com pressa, e às vezes tem que ter paciência”, completou.


Veja a coletiva completa:


コメント


bottom of page